+ MUNDO

Obama prestigia atletas negros que protestaram nas Olimpíadas de 1968

Autor: Rejane Romano

Tommie Smith e John Carlos, medalhistas de ouro e bronze nos 200m, respectivamente, foram homenageados pelo presidente norte-americano Barack Obama, na Casa Branca, na última quinta-feira (29), em referência aos protestos que contra a segregação racial nos Estados Unidos durante os Jogos de 1968.

 

 

Obama se referiu aos atletas como exemplos na luta contra o racismo nesta homenagem que ocorreu em meio à recepção de Obama aos medalhistas olímpicos do Rio 2016. Além de Smith, hoje com 72 anos e Carlos, com 71, o presidente americano também destacou o feito de Jesse Owens, que ganhou quatro medalhas de ouro nas Olimpíadas de 1936, na Alemanha, no período do regime nazista de Adolf Hitler.

 

Protesto

 

Smitth e Carlos foram expulsos da equipe olímpica dos EUA porque vestiram luvas pretas e levantaram os punhos no pódio olímpico, durante a execução do hino nacional dos EUA, em manifesto contra a perseguição aos negros no país. Um gesto que se remetia aos Panteras Negras, grupo de resistência do movimento negro norte-americano e que lutava pelos direitos civis.

 

"O protesto silencioso e poderoso que fizeram nos Jogos de 1968 foi controverso, mas acordou as pessoas e criou uma grande oportunidade para quem veio depois", afirmou Obama.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAIS NOTÍCIAS