+ NOTÍCIAS

Cônsul Geral/ Embaixador Belo Mangueira convida empresários brasileiros a investirem em Angola

São Paulo

Cônsul Geral/ Embaixador Belo Mangueira convida empresários brasileiros a investirem em Angola

O apelo foi lançado no decurso de um encontro, bastante concorrido, realizado no Auditório do Consulado Geral, no dia 31 de setembro do ano em curso.

Sob o tema "Nova conjuntura política econômica de Angola após as eleições versus investimentos", o Auditório do Consulado Geral de Angola em São Paulo acolheu uma palestra com empresários brasileiros, tendo sido uma iniciativa da Instituição Consular, Representação Comercial de Angola no Brasil e da Câmara de Comércio Angola-Brasil.

O Embaixador Belo Mangueira deu a conhecer os aspectos mais importantes do Programa do Governo de 2017 a 2022, apresentado na campanha eleitoral que teve lugar no dia 22 de Agosto, num contexto macroeconómico.

Recordou a aposta do Executivo na diversificação da economia, destacando-se o seu sector primário e nos diversos domínios da economia, de forma a reduzir o peso do sector petrolífero no PIB de Angola. Debruçou-se também no papel do investimento privado, incluindo estrangeiro, neste processo de desenvolvimento, e o impacto da parceria com o sector público nos diferentes programas em curso e projectados no Programa do Governo.

Aproveitou para convidar os empresários brasileiros a participar e investir nas diferentes áreas do desenvolvimento económico do País, conhecendo o conhecimento, experiência e know how do Brasil, contribuindo, assim, para o crescimento da economia de Angola.

O Cônsul Geral referiu-se também à uma das grandes apostas do Executivo Angolano o combate a corrupção, bem como às politicas financeiras, fiscais e outros incentivos que possam cativar o investimento, enfatizando a necessidade de aligeirar a concessão de vistos aos investidores e turistas estrangeiros, de forma a que estes se sintam seguros.

Terminou a sua intervenção, convidando a classe empresária brasileira a investir em Angola, podendo recorrer ao Consulado Geral de Angola e demais Instituições oficiais, Representação Comercial de Angola no Brasil e Câmara de Comércio Angola-Brasil.

Enquanto isso, o Representante Comercial de Angola no Brasil Manuel Delgado, na sua intervenção, assegurou estarem garantidas todas as condições para que Angola receba o investimento estrangeiro que ao país muito interessa.

Mencionou as principais orientações e projectos em curso ou em perspectivas contidas no Programa do Governo de 2017 a 2022, bem como as áreas de intervenção, lançando um desafio e convite para investimento nas diferentes áreas, como a reparação de infraestruturas existentes, redes ferroviárias, rodoviárias, portos, barragens, aeroportos, médico-medicamentosa e hospitalar, transportes e telecomunicações, produção agrícola, agropecuária, indústria, turismo, e outras.

Aproveitou para informar que a Representação Comercial de Angola no Brasil é uma Instituição vocacionada também para a captação de investimento e promoção de negócios entre o Estado e demais parceiros angolanos e brasileiros, tendo lançado o convite aos presentes para investir, garantindo tudo fazer para que as propostas a serem apresentas sejam rapidamente atendidas pela instituição que dirige e que está aberta para esclarecimentos e fornecimento de serviços no âmbito do seu pelouro.

Por sua vez, o Presidente da Câmara de Comércio Angola-Brasil, Sr. Eduardo Arantes Pereira do Nascimento, colocou-se à disposição para eventuais esclarecimentos sobre como investir em Angola, tendo-se referido ao papel da Câmara no incentivo do investimento brasileiro em Angola e parceria entre empresas de ambos países. Assim, a Câmara tem as portas abertas para o fomento e a concretização de negócios.

Seguiram-se perguntas e respostas, principalmente da certeza de se encontrar em Angola um ambiente de comodidade e segurança para tornarem viáveis os investimentos. Os empresários questionaram sobre a repatriação de lucros de seus capitais, dentro da política monetária, e financiamento pelos bancos de projectos, tendo sido enfatizado pelos palestrantes as medidas do Governo previstas no seu Programa a respeito de forma a corrigir o que está mal, e melhorar o que está bem , bem como a criação de condições na área financeira e legislativa para garantir a segurança aos investidores privados e estrangeiros.

Participaram aproximadamente 60 empresários dos mais diferentes ramos da economia, como comércio, indústria, turismo, construção, direito e demais sectores da vida produtiva brasileira.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAIS NOTÍCIAS