+ NOTÍCIAS

VISITA DO CONSUL GERAL DE ANGOLA EM SÃO PAULO AS INSTALAÇÕES DA ASSOCIACÃO PALANCA NEGRA

O Consul Geral de Angola em São Paulo, Embaixador Belo Mangueira, acompanhado de António da Silva, responsável pelas comunidades angolanas junto do Consulado Geral, visitou, no dia 6 de julho, as instalações da Associação dos Angolanos no Estado de São Paulo Associação Palanca Negra, que se localiza no centro da cidade de São Paulo, Rua Barão de Itapetininga.

A Associação é apoiada pelo Consulado Geral e visa mobilizar e organizar a comunidade angolana, residentes, estudantes e outros, que vivem no Estado de São Paulo, tendo em sua carteira projectos importantes com esse fim e também de divulgação de valores e a cultura angolana no Brasil.

Foi com o espirito de estreitar as relações entre as duas Instituições que o Consul Geral procedeu a essa visita de trabalho e inteirar-se dos feitos e programas da Associação. Foi de realçar o relacionamento com o Projecto Raízes, tendo sido organizado em 2017 o Primeiro Intercambio Cultural Angola Brasil, festival de arte, cinema e literatura. Está programada a realização do Segundo Intercambio Cultural Angola Brasil em novembro de 2018

Com o apoio de elementos da comunidade, a Associação realizará em 2018 a realização de dois grandes projectos sociais, nomeadamente o Projecto de Atendimento Psicológico e Projecto de Atendimento Jurídico-Consular, em colaboração com o Consulado Geral de Angola em São Paulo, para além dos Cursos de Línguas Nacionais que terão lugar em agosto próximo, começando com Quimbundo, Umbundo e Kikongo.

O Consul Geral percorreu as instalações da Associação e foi reconfortado pelo apoio desinteressado de cidadãos angolanos e brasileiros pela ajuda material concedida, como quadros de arte, mobiliário, livros e material informático, o que demonstra a importância e o papel mobilizador da Associação.

Destacamos a ajuda e contribuição de artistas angolanos, como Izidro Sanene idealizador do Projecto Raízes, Paulo Chavonda, Joao Canda, Engenheiro Domingos Lemba CEO da Luzingu Pro, e outros residentes do Estado de São Paulo, colaboração do Centro de Estudos de Línguas Africanas, bem como as parcerias com a Prefeitura da Cidade de São Paulo, Secretaria da Cultura, Startup VIP Gosen, UNESCO.

Vamos todos apoiar a Associação dos Angolanos em São Paulo para que esta consiga cumprir com as suas tarefas sociais junto da comunidade angolana, contribuindo para a resolução dos problemas mais prementes dos angolanos, como sua legalização, valorização da cultura angolana no Brasil e união de todos ao redor dos mesmos objectivos.

Recordamos que a Associação Palanca Negra foi criada em 2007, tendo sido revitalizada em 2014 com o apoio do Consulado Geral no concernente as actuais instalacoes, e hoje é coordenada pelo senhor Carlos Francisco Joao.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAIS NOTÍCIAS